Vamos falar sobre a nossa água

Tão presente em nossas vidas, nos acostumamos a pensar que temos água o suficiente para sempre vermos o “copo meio cheio”. Mas, a escassez e a contaminação das águas são realidades. Neste site são apresentadas propostas para uma nova tarifa de água e esgoto, um elemento central para alcançarmos nossa segurança hídrica.

CENÁRIO ATUAL

A realidade das águas brasileiras

Projeções futuras indicam que até 2035, mais de 73 milhões de brasileiros correm risco de sofrer com desabastecimento de água, mas em um país que concentra 12% da água doce do mundo, como podemos viver tamanha insegurança hídrica? Para entender essa realidade em mais detalhes, alguns dados apontam que, de fato, nosso copo está meio vazio.

NOSSA VISÃO

De um copo cheio

Nos baseamos em 4 princípios como pontos de partida para propor melhorias para a tarifa de água e esgoto:

  • Água e saneamento básico são direitos humanos
  • É necessário preservar nossas fontes de água
  • Água é um bem comum e sua gestão deve ser democrática
  • Investir em saneamento básico impacta positivamente na saúde e bem-estar coletivos

Entenda melhor a importância desses princípios:

Pontos de partida as recomendações
Pontos de partida as recomendações

Podemos ter uma tarifa
mais justa e sustentável?

A tarifa de água e esgoto é uma peça chave para estimular o uso racional e a eficiência na prestação do serviço de uma forma justa e transparente. Como?

Uso racional da água através da tarifa

Cobrar confome o consumo real

Promovendo o uso racional da água através da tarifa

Água limpa e saneamento a todos

Água limpa e saneamento a todos

Garantindo o acesso às famílias em situação de pobreza

Proteção dos mananciais

Recursos da tarifa para o cuidado com as fontes de água

Proteção dos mananciais

Uma conta mais transparente

Exibir com mais clareza informações essenciais e memória de cálculo

Uma conta mais justa

Existem outras propostas para melhorar a realidade do saneamento

O IDS elaborou ao todo 23 recomendações para a tarifa da Sabesp. Ainda assim, grande parte dessas propostas pode ser replicada para outros lugares do Brasil. Você pode conferir todas as propostas elaboradas por nós acessando o conteúdo no link abaixo.

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA:

O copo está meio cheio ou meio vazio?

Pesquisa realizada pelo Datafolha a pedido do IDS, em abril de 2019, aponta que o saneamento está entre as 3 principais prioridades do paulistano. Os dados também apontam o desejo de mais transparência, de cuidado com as fontes de água e da universalização do acesso ao saneamento básico no Brasil.

Você pode conferir mais resultados da pesquisa:

%

dos entrevistados não sabem o que acontece com seu esgoto

%

contribuiriam financeiramente para a proteção dos mananciais

%

acreditam o Governo do Estado de São Paulo deve reinvestir integralmente o recurso que recebe como acionista da Sabesp para levar saneamento básico a todos

A tarifa de água e esgoto pode ser um poderoso instrumento para a universalização do saneamento e a promoção da segurança hídrica

SAIBA MAIS SOBRE

Os resultados dessa iniciativa

Clicando nos links abaixo você pode ter acesso a todos os estudos realizados pelo IDS para elaborar as propostas para a tarifa da Sabesp:

Referências Nacionais e Internacionais

Levantamento e análise de 17 experiências nacionais e 13 internacionais.

Pesquisa de Opinião

Análise da pesquisa de opinião feita pelo Datafolha, à pedido do IDS, com os paulistanos em abril de 2019.

Recomendações

Relatório técnico apresentando as justificativas de cada uma das 23 propostas do IDS.

Conheça outros trabalhos do IDS

Fontes consultadas: Agência Nacional de Águas (ANA) - “Relatório de Conjuntura dos Recursos Hídricos” (2018), “Atlas Brasil: Abastecimento Urbano de Água” (2010), “Atlas Esgotos: Despoluição de Bacias Hidrográficas” (2017), “Balanço Hídrico”; Instituto Nacional de Geografia e Estatística (IBGE) - “Perfil dos municípios brasileiros: Saneamento Básico” (2017),  “Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua” (2019); “Censo Demográfico - tab. 4 e 5” (2010); Ministério do Desenvolvimento Regional - “Plano Nacional de Saneamento Básico - Plansab” (2019), “Plano Nacional de Segurança Hídrica” (2019), “Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento: Diagnóstico Anual de Água e Esgoto” (2017); Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (Abes) - “Ranking Abes da Universalização do Saneamento” (2019); Ministério da Saúde - DATASUS; Repórter Brasil, Agência Pública e Public Eye - “Coquetel” com 27 agrotóxicos foi achado na água de 1 em cada 4 municípios” (2019); Organização das Nações Unidas (ONU) - Resoluções A/RES/64/292 e A/RES//70/169; Instituto Trata Brasil.

Imagens utilizadas: Pexels, Pixabay e Unsplash| Ícones utilizados: Fahmi, Kiran, Riska Ambiya Mahfudin e Joe Pictos do The Noun Project.